Um ano realmente SUDAM


A temporada de F2 SUDAM de 1985 foi sem dúvida a temporada dos sonhos dos dirigentes do automobilismo sul americano, pelo menos em termos de diversidade.

Diversas tentativas foram feitas para integrar os países do continente em campeonatos automobilísticos regionais, mas na melhor das hipóteses, realizaram-se diversos torneios argentino-brasileiros.

O campeonato de 85 foi dominado por três GU, os argentinos Guillermo Maldonado, Guillermo Kissling e Gustavo Sommi. Juntos ganharam nove das corridas e ocuparam os três primeiros lugares do campeonato.

O melhor não argentino foi o brasileiro Leonel Friedrich, sexto no campeonato, que ganhou a corrida de Guaporé. O resto das corridas foi ganho por argentinos.

Apesar de tanto domínio platino, pilotos de outros países figuraram na classificação final. O melhor foi Pedro Passadore, uruguaio que chegou a disputar a F3 inglesa em 1973 e 1974, e que foi campeão argentino de Fórmula 1 nos anos 70.

O chileno Eliseo Salazar, ex-piloto de F-1, obteve um quarto lugar em Rafaela. Um outro ex-piloto de F1 participante foi o argentino Miguel Angel Guerra.

O peruano Neto Jochamowitz obteve um quinto lugar, em Córdoba.
Por fim, o venezuelano Juan Cochesa, que disputou o campeonato Europeu de F2 e o canadense de Fórmula Atlantic nos anos 70, obteve um ponto na corrida de Goiânia.

Sem dúvida, boa diversidade. Além disso, o campeonato foi disputado com carros com motor VW, Renault e Ford.

Outros brasileiros que figuraram na tabela final foram Cesar Pegoraro (10o.), Marcos Troncon (12o.), Victor Marrese e Pedro Muffato (17o. empatados).

Quatro eventos foram realizados no Brasil, em Tarumã, Brasília, Goiânia e Guaporé.

Comments

Popular posts from this blog

O piloto de Fórmula 1 mais rico do mundo

Patrocínios e patrocinadores – nem tudo que reluz é ouro

Uma grande decepção