Monoposto adaptado como carro-esporte

Existe uma música baiana que alega que a guitarra elétrica foi inventada na Bahia. Pois bem, antes que alguém diga que o Antonio Carlos Avallone inventou a adaptação de monopostos como carros esporte, vou provar o contrário.
As mesmas Talbot que corriam na F-1 em 1950 e 1951 eram usadas nas 24 Horas de Le Mans, com para-lamas, faróis e mais alguns penduricalhos. De fato, o carro assim adaptado ganhou a corrida em 1950. Curiosamente um desses Talbot foi comprado por Pinheiro Pires no Brasil, e usado em corridas até o fim da década. Este é só um exemplo.
Avallone queria implantar a F-5000 no Brasil, mas não encontrou outra pessoa, além dele próprio, que se entusiasmasse com a idéia. Assim, acabou colocando para-lamas e um sidepod longo no carro, usando-o em algumas provas da Divisão 4 em 1974
Entretanto, Avallone mais ou menos profetizou o que ocorreria com a Formula 5000 americana, em 1977, cujos carros foram transformados em pseudo-carros-esporte da nova série Can-Am. Eis uma Lola do período.

Comments

Popular posts from this blog

O piloto de Fórmula 1 mais rico do mundo

Patrocínios e patrocinadores – nem tudo que reluz é ouro

Uma grande decepção